Homem de camisa preta e feições preocupadas, com óculos de grau na cabeça e caneta atrás da orelha encosta o queixo sobre as mãos, em cima de uma mesa e em frente a uma calculadora.

O investimento em energia solar vem sendo discutido por muitas pessoas e empresas.

Os motivos são, principalmente, a busca por uma economia maior na conta de luz. Mas há também uma crescente preocupação com o meio ambiente.

A energia renovável é econômica e muito sustentável, mas também é uma alternativa em relação à crise energética do planeta. Essa crise traz reflexos diretos na conta de luz e, em busca de preços menores, a energia solar é um investimento muito procurado.

As placas solares podem ser compartilhadas, usadas para casas ou empresas, gerando economia. Duram anos e demandam pouca manutenção, mas seu valor pode ser alto.

Investir em energia solar tem seus benefícios que podem valer muito a pena, mas será que o valor da energia solar é acessível para todos?

Preço da instalação de energia solar em casa

Placas solares em residências estão cada dia mais comuns, já que são vários os benefícios até mesmo em pequenas casas. São instaladas poucas placas, geralmente no telhado, e assim fornecem eletricidade para qualquer utilidade dos moradores, sendo necessária pouca manutenção.

A economia virá com o tempo e dependerá da forma de instalação. Que pode ser ligada a rede elétrica (on grid) gerando créditos de desconto na conta ou tendo a geração independente (off grid), gerando 100% da energia, não sendo necessário pagar para as distribuidoras de energia, mas necessitando de um sistema mais complexo com baterias, e por sua vez mais caro.

Segundo o infográfico acima, elaborado pelo G1 em março de 2022, o valor médio de um Sistema fotovoltaico é de R$11 mil para residências com um consumo de 200 KWh e pode chegar até R$205 mil, para casas com consumo de 4.000 KWh.

É importante ressaltar que esses são preços médios e de mercado para época em que foram cotados, mas todos temos visto uma grande variação devido as oscilações do dólar e lançamento de novas tecnologias.

E é claro, para empresas, ou instalações de maior porte, consegue-se valores melhores e mais competitivos.

Os benefícios da energia solar são inúmeros. Além da economia, existe também um grande apelo de sustentabilidade e proteção ao meio ambiente. Mas, e quem não tem o dinheiro para investir em energia solar, o que fazer?

Há alguns anos, a resposta para essa pergunta seria bem simples: Não há nada a ser feito.

Mas isso mudou!

Telhado com placas solares e rapaz uiformizado em cima monitorando com computador.

Alternativas para ter energia solar sem investir alto

Recentemente, devido não só às novas tecnologias que falamos anteriormente, mas mudanças na legislação nacional, algumas oportunidades estão surgindo no mercado e, para entender a principal delas, precisamos falar do marco legal de energia solar.

O que é o marco legal de energia solar?

O acesso à energia renovável foi reformulado pela lei 14.300 em 06 de janeiro de 2022, que incentiva o consumo de energia limpa a partir da geração distribuída, onde mais empresas ou pessoas físicas podem gerar sua eletricidade por fontes como a solar.

Para entender mais sobre Geração Distribuída, confira nosso conteúdo que aborda o tema neste link.

Com ela, muitas empresas investiram em energia sustentável, o que inovou também na maneira como a contratamos. O que antes era responsabilidade total de distribuidoras de energia, agora pode ter os processos divididos, reduzindo os custos na produção e assim diminuindo os preços pagos.

Homem está em um campo de placas solares e sinaliza com o dedo indicador.

A partir dessa mudança, um novo modelo de negócio passou a existir e empresas começaram a oferecer energia solar de uma forma muito mais simplificada, que não exige obras para instalação e/ou altos investimentos.

Estamos falando da assinatura de energia solar. Você já ouviu falar?

O que é assinatura de energia solar?

Ter em casa energia vinda de usinas solares, bem como de hidrelétricas e eólicas, fica cada vez mais fácil.

Algumas empresas geram energia elétrica e trabalham com o formato de assinatura: você faz a assinatura, elas alocam o percentual da energia gerada para você, mandam para as distribuidoras regionais e você recebe o crédito em sua faturas todo mês enquanto a assinatura estiver vigente.

Esse desconto acontece porque o custo de produção da energia solar e eólica é menor, mas há ainda empresas como a Hy Brazil, que gera energia, trabalha com a geração distribuída e possui grande expertise no desenvolvimento, construção e operação de usinas hidroelétricas. Isso faz com que esse tipo de energia tenha também um custo mais baixo do que aquele aplicado pelas distribuidoras.

Essa energia, gerada por um custo menor, entra nas redes de distribuição e chega até você com um desconto na fatura de luz. Ou seja, você recebe em sua residência ou comércio energia gerada por fontes renováveis, limpas e sustentáveis, e ainda paga menos por isso, sem obras.

Parece até brincadeira, não é? Mas é real e bem dinâmico.

Casa rodeada de árvores, com várias placas solares distribuídas no telhado.

Há empresas que cobram valores mensais por essa assinatura e outras que não cobram nada, além da fatura mensal da energia com os desejados descontos vindos da energia sustentável.

Esse é o caso da FIT Economia de Energia, uma empresa especializada em compartilhamento de crédito de energia e que já fez seus clientes economizarem mais R$120 milhões de reais na conta de luz.

Quer saber mais sobre a contratação desse modelo de negócio e seus benefícios? Confira nosso conteúdo: Vale a pena contratar a FIT Energia? Veja como funciona!

Share.

Deixe um comentário